(11) 98136-0345
  Login: Facebook - 4any1 Instagran - 4any1

Profissionais de Apoio

Staff de uma equipe multidisciplinar que oferecem benefícios para nossos clientes na contratação de seus serviços como também escrevem textos de fácil entendimento sobre a sua profissão. Estes textos têm como objetivo trazer mais conhecimento que com certeza são importantes para que possa conhecer mais o seu organismo como aprimorar de alguma maneira a forma com que realiza seus treinos com a 4any1 assessoria esportiva.

Dr.Wagner Castropil - Ortopedia | castropil@vita.org.br

Wagner Castropil, formado em Medicina pela USP, especializado em Ortopedia e Medicina Esportiva pela mesma instituição. Mestre e Doutor pela USP. Especializado em cirurgia de Joelho e Ombro com fellow no Hospital Lenox Hill (NY). Ex-atleta Olímpico de Judô (Barcelona-92), atualmente responsável pelos Departamentos Médicos da Confederação Brasileira de Judô, Esporte Clube Pinheiros e membro do Comitê Olímpico Brasileiro. Fundador da Associação Vita Care para desenvolvimento de pesquisa, ensino e assistência a atletas carentes.

Contato: (11) 3123.8482

Vantagens oferecidas para clientes 4any1

20% de desconto na consulta para clientes 4any1

Conteúdos publicados por este(a) profissional

22/06/2010 - ortopedia

Fratura por estresse

Com o aumento do n£mero de praticantes de atividades f¡sica (principalmente de corredores) e tamb'm da intensidade dos treinos, um problema que antes era restrito aos atletas de alta performance e militares passou a ser observado em esportistas em geral, e deve ser lembrado por quem pratica e lida com praticante de atividade f¡sica. Trata-se da fratura por estresse, uma dor que acomete principalmente os ossos dos membros inferiores (ossos do p', t¡bia, f¡bula e f^mur), cuja g^nese ' a sobrecarga de forma intensa, mal realizada ou sem o devido intervalo de recupera+Æo.

            A fratura por estresse pode se originar de um aumento muito r pido da intensidade ou do volume de treino (recomenda-se um acr'scimo de at' 15% semanal) ou mesmo de uma mudan+a no tipo de treino (troca de cal+ado, tipo de piso, in¡cio de um programa de saltos, etc.).

            O osso envolvido ' submetido . uma carga excessiva sem o devido respeito aos princ¡pios de progressÆo e repouso, e inicia-se  uma fratura das partes internas (trab'culas ¢sseas) que pode, se nÆo tratado, progredir para uma fratura completa.

            O RX em geral ' normal, a nÆo ser em fases mais tardias, onde pode aparecer uma forma+Æo de uma calo ¢sseo discreto no local da fratura.

            Para confirma+Æo diagn¢stica devemos lan+ar mÆo de m'todos como Ressonƒncia Magn'tica ou Cintilografia àssea, que apresentam uma boa sensibilidade.

            O tratamento ' conservador com repouso relativo, isto ', afastamento de toda e qualquer atividade de impacto podendo o atleta realizar atividades na  gua e exerc¡cios de fortalecimento e alongamento para manter sua condi+Æo muscular e cardio-respirat¢ria.

            O per¡odo de afastamento varia com a regiÆo onde se localiza a fratura e com o grau de acometimento ¢sseo, mas em geral ' prolongado, afastando o paciente de atividades de impacto por um per¡odo de 3 a 6 meses.

            Para prevenir as fraturas de estresse, deve-se tomar precau+äes com rela+Æo ao cal+ado correto (com uma boa capacidade de absor+Æo de i

Wagner Castropil

22/05/2010 - ortopedia

Desequilibrios musculares

   

            Quando nos deparamos com uma lesÆo, questionamos a causa que a gerou. Mudan+as nos treinos, equipamentos inadequados (t^nis, piso) ou trauma sÆo lembrados, mas os desequil¡brios musculares relacionados ao esporte praticado sÆo freq?entemente esquecidos.

            Deve haver um equil¡brio entre grupos musculares para o bom funcionamento das articula+äes, e quando esse equil¡brio ' quebrado temos uma sobrecarga.

Na corrida utilizamos a musculatura propulsora, formada pela cadeia muscular posterior, que trabalha impulsionando nosso corpo para frente, e por isso se desenvolve nesta atividade f¡sica.

            O desequil¡brio mais freq?ente ocorre entre a musculatura anterior e posterior das pernas e coxas, que pode ser a origem de muitas lesäes encontradas nos corredores, como tendinites ao n¡vel do joelho, fraturas por estresse da t¡bia ou  mesmo desgastes articulares que v^m com os anos.

            ? preciso prestar especial aten+Æo no fortalecimento da musculatura anterior da perna e coxa e nos alongamentos da musculatura posterior para prevenir este desequil¡brio.

            Em casos de recupera+Æo de lesäes ou atletas de alto rendimento, ' aconselh vel uma avalia+Æo mais precisa e individual atrav's da avalia+Æo isocin'tica, que consiste em um teste de for+a, resist^ncia, pot^ncia e fadiga da musculatura, medindo cientificamente todas as qualidades da musculatura testada e direcionando um trabalho de equil¡brio e preven+Æo de lesäes.